Novo Projeto
Novo Projeto (2) (1)

Reserva de Hotéis

Novo Projeto (6) (1)

Passagens Aéreas

Novo Projeto (3) (1)

Passeios e atividades

Novo Projeto (8) (1)

Aluguel de carros

Novo Projeto (4) (1)

Seguro Viagem

o que fazer na chapada diamantina

Está programando uma viagem a Chapada da Diamantina? Elaboramos um guia com várias dicas de viagens e o que fazer na Chapada Diamantina

A Chapada da Diamantina é um destino ótimo para quem quer curtir a natureza e se deslumbrar com cenários incríveis, entre grutas, cachoeiras e muito verde. São tantas opções do que fazer lá que você vai querer voltar mais vezes, com certeza..

O Parque Nacional da Chapada Diamantina tem mais de 38 mil quilômetros quadrados e engloba as cidades de Lençóis, Mucugê, Ibicoara, Vale do Capão, Igatu e Andaraí. Em todas elas, as atrações oferecem experiências únicas em meio à natureza extremamente preservada.

Trilhas levam a cânions e grandes cachoeiras. Grutas revelam cenários impressionantes e mirantes presenteiam com vistas belíssimas. Fica até difícil descrever tudo o que se pode fazer na Chapada da Diamantina. Mas uma coisa é certa: você se surpreenderá com as maravilhas desse cantinho da Bahia.

O que fazer na Chapada da Diamantina

o que fazer na chapada diamantina
Foto: Rosanetur / Flickr

Prepare-se para contemplar muito verde e banhar-se em águas cristalinas e geladas da região. Entre tudo que se pode fazer na Chapada da Diamantina, o melhor é aproveitar a natureza ao máximo. Seja mergulhando nos rios ou grutas, em banhos de cachoeira, caminhadas nas trilhas ou praticando esportes radicais. Vale muito a pena cada minuto nesse paraíso.

  • Gruta da Lapa Doce

A Gruta da Lapa Doce fica em Lençóis e é a terceira maior do país. São 17 quilômetros mapeados, mas apenas 850 metros são abertos à visitação. O interior da gruta impressiona pela beleza. As formações rochosas vão de espeleotemas a estalactites e estalagmites.

A visita à Gruta da Lapa Doce é um passeio para todos. A trilha é fácil e a descida que leva ao interior da gruta, apesar de íngreme, também não é difícil de ser superada. Dentro da gruta, os visitantes recebem lanternas para admirar cada detalhe.

Além disso, todo o trajeto é feito com o auxílio de guias que oferecem três tipos de roteiros: o mais curto, de cerca de 2,5 quilômetros, o médio, de 3 quilômetros, e o mais longo, de 7 quilômetros. Todos eles são surpreendentes.

A paisagem no trajeto é de tirar o fôlego e o esforço é recompensado com a experiência única dentro da gruta. Este é um passeio imperdível para quem vai à Chapada Diamantina.

  • Fazenda Pratinha

Quem vai à Fazenda Pratinha tem a oportunidade de conhecer, em um único passeio, duas maravilhas da região: a Gruta Azul e a Gruta da Pratinha. A propriedade é privada e fica na cidade de Iraquara.

A Gruta Azul é aberta apenas para observação, por isso, a passagem por ela é bem rápida. Mas vale a pena, o lugar é um espetáculo da natureza. Aproveite para fazer muitas fotos e contemplar a beleza do interior da gruta.

O nome se deve ao fato de que, em determinadas épocas do ano e em horários específicos, um feixe de sol ilumina suas águas, que ficam numa tonalidade azul incrível.

Já a Gruta da Pratinha permite a flutuação pelas águas do rio. São trinta minutos nas águas transparentes. No interior da gruta, a dica é aproveitar o silêncio e flutuar sem as luzes das lanternas. E não deixe de registrar esse momento em muitas fotos.

Agora, se você não quiser participar da flutuação, é possível fazer mergulho do outro lado do rio. A Fazenda da Pratinha ainda tem tirolesa e passeios de caiaque e pedalinho.

  • Gruta da Torrinha

Uma das mais visitadas na Chapada Diamantina, a Gruta da Torrinha impressiona pelos detalhes das formações rochosas. Entre espeleotemas, estalactites e estalagmites, o visitante se deslumbra com a grandiosidade do lugar.

  • Gruta da Fumaça

Com um dos acessos mais fáceis da região, a Gruta da Fumaça é ótima para quem não quer fazer muito esforço. Além disso, não é preciso o acompanhamento de um guia para a visita. O lugar é bem grande e, além das formações rochosas, tem salões espetaculares.

  • Gruta do Lapão

Para quem gosta de aventura, a Gruta do Lapão é ideal. Nela é possível fazer rapel tanto na entrada quanto em seu interior.

A Gruta do Lapão está entre as maiores cavernas de quartzo da América do Sul e é a segunda maior do Brasil. Em seus 10 metros de largura, 1 quilômetro de extensão e 50 metros de altura, a gruta oferece uma experiência sem igual.

  • Poço Encantado

Não é exagero dizer que o Poço Encantado é um dos lugares mais surpreendentes e belos da Chapada Diamantina. As águas cristalinas e azuis parecem mágicas quando são iluminadas pelo feixe de luz solar que invade o interior da gruta.

Como são extremamente transparentes, as águas permitem ver formações rochosas que estão a 60 metros de profundidade. O Poço Encantado tem 110 metros de comprimento e 70 metros de largura.

Para chegar até ele é necessário descer uma escadaria e depois transpor uma rocha. Mas não se preocupe porque o trajeto é fácil. Somente é possível visitar o poço com acompanhamento de um guia, que orienta como aproveitar o melhor deste lugar único. Não é permitido banhar-se nas águas do poço, apenas contemplá-las.

O Poço Encantado fica em uma propriedade particular no município de Itaetê. O acesso é pago e há restaurante e lanchonete no local.

  • Poço Azul

Bem semelhante ao Poço Encantado, o Poço Azul é outro local que merece ser visitado no Parque Nacional da Chapada Diamantina. Em comum, os dois lugares têm águas azuis e límpidas que ganham um toque mágico quando são iluminadas pelo sol.

Porém, diferentemente do Poço Encantado, o Poço Azul permite fazer flutuação nas águas. Mas para entrar no poço é preciso, primeiro, tomar uma chuveirada para tirar qualquer resíduo de protetor solar ou creme da pele. A ação é necessária para preservar a pureza das águas. A entrada é paga e acompanhada por um guia do local.

  • Morro do Pai Inácio

Toda a beleza da Chapada Diamantina pode ser contemplada do alto do Morro do Pai Inácio. O morro tem mais de mil metros de altura e é um dos cartões-postais do Parque Nacional da Chapada Diamantina. E não é para menos. O local é um dos mais visitados e oferece uma vista de tirar o fôlego.

O ideal é visitar o Morro do Pai Inácio mais ao final da tarde. O pôr do sol visto do alto é uma das visões mais incríveis que você contemplará. A paisagem ganha um contorno dourado enquanto o sol se põe.

Vale a pena aproveitar também o caminho que leva ao topo do morro. Observe a paisagem ao redor, que inclui o Morro do Camelo e o Morro Três Irmãos. Não é preciso guia, o acesso é bem fácil e você pode curtir o local com bastante calma.

Quais cachoeiras visitar na Chapada da Diamantina

o que fazer na chapada diamantina
Foto: Rodolfo Bazetto /Wikimedia Commons

O Parque Nacional da Chapada Diamantina é um lugar privilegiado com uma natureza incrível, banhada por muitos rios e quedas d’água grandiosas. Por isso, as cachoeiras estão entre os principais pontos para se conhecer ao passar pela região. E são muitas, uma mais bonita que a outra. Conheça algumas delas e prepare-se para visitar lugares deslumbrantes.

  • Cachoeira da Fumaça

Um exemplo de beleza e grandiosidade é a Cachoeira da Fumaça. Com 340 metros de queda d’água em meio a paredões rochosos, a cachoeira pode ser visitada tanto do alto como por baixo. O mais comum é visitá-la pela parte superior, isso porque o caminho que leva ao final da queda é mais difícil de percorrer.

O nome da cachoeira vem do fenômeno decorrente da força das águas, que levanta uma fumaça ao redor. Não é possível tomar banho na Cachoeira da Fumaça. Geralmente, quem visita o local faz uma parada para se refrescar na Riachinho, uma cachoeira menor.

  • Cachoeira Fumacinha

Outra famosa queda d’água é a Cachoeira da Fumacinha. Um dos cartões-postais da Chapada Diamantina, a cachoeira tem 100 metros de altura e está entre paredões rochosos. Por isso, o acesso é um dos mais difíceis da região.

Somente os mais aventureiros encaram os 9 quilômetros de trilha até este paraíso escondido. Mas todo esforço é recompensado pela beleza do lugar.

  • Cachoeira do Mixila

Um pouco menor, a Cachoeira do Mixila tem 80 metros de queda. Ela fica no cânion do Rio Capivari, em um dos mais belos cenários para fazer trilha. Para visitá-la, o ideal é fazer o percurso em mais de um dia. Assim, poderá aproveitar ao máximo a beleza no trajeto, que inclui a Cachoeira do Capivari e do Palmital.

  • Cachoeira do Mosquito

Já a Cachoeira do Mosquito tem acesso facilitado e não precisa do acompanhamento de um guia para ser visitada. A queda d’água fica no Complexo Turístico Fazenda Santo Antônio e conta com ótima estrutura, incluindo um restaurante. É possível tomar banho em suas águas ou, até mesmo, embaixo da queda.

  • Cachoeira do Sossego

Perfeita para quem quer tomar um banho, a Cachoeira do Sossego fica próxima ao município de Lençóis. Para chegar até lá, os turistas passam por mirantes, pedras e grandes árvores. O passeio ainda pode ser feito junto com a visita ao Ribeirão do Meio. Contudo, é preciso o acompanhamento de um guia para chegar até a cachoeira. O acesso não é tão fácil e exige experiência.

  • Cachoeira e Poço do Diabo

Ao longo do Rio Mucugezinho há vários pontos para banho. Os principais são o Poço e a Cachoeira do Diabo. Se você for mergulhar ali, prepare-se para águas extremamente geladas.

O acesso é bem fácil, nas margens da rodovia BR 242. Além disso, o local conta com ótima infraestrutura, que inclui uma lanchonete, uma loja de souvenir e sanitários.

  • Cachoeira do Buracão

Outro espetáculo à parte no Parque Nacional da Chapada Diamantina é a Cachoeira do Buracão. Para chegar até ela, é necessário enfrentar uma trilha e atravessar o cânion. A cachoeira fica escondida atrás do corredor de pedras, que pode ser atravessado a nado ou por trilha.

No final do percurso, a Cachoeira do Buracão se revela com toda magnitude dos seus 85 metros de queda d’água.

Onde comer na Chapada da Diamantina

 

o que fazer na chapada diamantina
Foto: Divulgação

Que a natureza é o principal atrativo da Chapada da Diamantina não restam dúvidas. Mas a região também reserva grandes surpresas quando o assunto é gastronomia. O tempero baiano está presente em praticamente todos os pratos. Há também uma grande variedade de sabores para gosto nenhum botar defeito. Por isso, não se preocupe em encontrar onde comer na Chapada Diamantina, tenha certeza que estará bem servido.

Os principais pontos turísticos contam com lanchonetes. Além disso, é comum as agências fornecerem lanches durante os passeios. À noite, os centros das cidades que fazem parte do Parque Nacional da Chapada da Diamantina oferecem ótimos restaurantes.

A cidade de Lençóis concentra o polo gastronômico da região da Chapada da Diamantina. Os principais restaurantes, bares e cafés podem ser encontrados no centro histórico, entre a Rua das Pedras e a Rua da Baderna. Se você procura uma típica comida nordestina, o Lampião Culinária Nordestina é uma ótima opção. Para comer bem enquanto prova uma deliciosa cerveja, não deixe de visitar o Quilombola. Agora se quer provar de tudo um pouco, o restaurante O Bode tem um excelente self-service.

Já na cidade Vale do Capão, a Cervejaria Muito Prazer serve excelentes bebidas ao som de rodas de samba. Quem adora uma massa italiana, a Pizzaria Capão Grande é uma ótima pedida.

Deliciosas pizzas também são servidas no Point da Chapada, na cidade de Mucugê. Já o Sertãozinho produz hambúrgueres artesanais deliciosos.

Onde se hospedar na Chapada da Diamantina

 

o que fazer na chapada diamantina
Foto: Divulgação

Lençóis é a principal base para a maior parte dos turistas que visitam a Chapada Diamantina. Por isso, a cidade concentra muitas pousadas e hotéis. Contudo, não é o único lugar para se hospedar na Chapada Diamantina.

Há opções também no Vale do Capão, em Mucugê e Igatu. Além de acomodações ao longo das estradas, ideais para quem quer sossego e tem carro para se locomover na região.

Não espere encontrar grandes redes de hotéis e resorts na Chapada Diamantina. As hospedagens tendem a ter ambientes mais rústicos, descolados ou alternativos. A simplicidade é um ponto em comum entre as diversas acomodações. Para os mais aventureiros, a região conta com áreas de camping, principalmente nas trilhas com percurso mais longo e que exigem pernoite.

O mais importante para definir onde se hospedar na Chapada Diamantina é saber exatamente o que quer conhecer, entre tantas atrações. Com o roteiro estabelecido, procure um lugar que facilite o acesso a todos os pontos que serão visitados.

Booking.com
Gostou? Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Fique por dentro!

Cadastre-se para receber nossas últimas novidades e ofertas exclusivas!

Fique por dentro!

Cadastre-se para receber nossas últimas novidades e ofertas exclusivas!